Dúvidas Frequentes

  • Câncer de próstata tem cura?

    Câncer de próstata tem cura?

    Sim! Desde que o diagnóstico seja feito precocemente. Nestas condições, quanto menor for o estágio do câncer, maior a possibilidade de que o tratamento determine efetivamente a cura. 

    E principalmente nos casos diagnosticados precocemente, o paciente pode ser submetido ao tratamento com avançadas terapias não invasivas ao tumor. É o caso do ultrassom de alta taxa dose de irradiação (também conhecida como HIFU), aplicada apenas sobre a pele do paciente.

    O procedimento, por ser tópico, reduz os riscos de incontinência urinária e de impotência sexual presentes na cirurgia e na radioterapia.

    A atitude preventiva, no entanto, ainda é a melhor receita para afastar o câncer. O toque retal, associado à dosagem da proteína PSA no sangue, permitem a detecção do tumor ainda em estágio precoce. As consultas devem começar a partir dos 40 anos.


    O que é o HIFU?

    HIFU (Ultrassom Focalizado de Alta Intensidade, para a sigla em inglês High Intensity Focused Ultrassound) é o foco das ondas sonoras para criar calor e energia mecânica num ponto específico (ou seja, o ponto focal). Esta energia efetivamente destrói o tecido alvo. O HIFU foi autorizado pelo FDA(Food and Drug Administrationdos Estados Unidos), em 2015,para a ablação da próstata, embora esteja disponível fora dos Estados Unidos há mais de dez anos para o tratamento de câncer de próstata localizado e aumento benigno da próstata (HPB, H = hiperplasia). No Brasil tem aprovação pela ANVISA desde 2008.


    Como o HIFU trata o câncer de próstata?

    O foco das ondas projetado num ponto específico destrói o tecido e deixa as células que estão ??ao redor da próstata ilesas. Ao contrário da radiação, a energia HIFU é energia “limpa”, ou seja, pode ser aplicada repetidamente (se necessário), sem causar danos ao tecido entre o transdutor e a próstata.


    Quais são os resultados que se conhece com o tratamento por HIFU?

    Um estudo internacional publicado por Toyaki Uchida, MD (Japão) relatou que 94% dos pacientes (baixo risco) estavam livres da doença após quatro anos. Além disso, 92% dos homens tratados com HIFU tiveram um PSA de 2ng/ml ou menos, após 3 meses do tratamento com HIFU, conforme outro estudo, apresentado pelo Dr. Mark Emberton, de Londres (ING).


    O HIFU só trata as células cancerígenas?

    O HIFU irá remover qualquer tecido alvejado pelo médico com o dispositivo durante o planejamento do tratamento, baseado no relatório de patologia e exames de imagem. Desta forma, será possível definir quanto da próstata deve ser tratada. Toda a próstata poderá ser alvo do tratamento e, neste caso, incluiria o tumor e qualquer outro tecido da próstata. No entanto, com auxílio de imagens avançadas por ressonância magnética, o médico pode determinar a localização exata do tumor na próstata e usar o HIFU para tratar apenas o tumor, deixando outros tecidos da próstata intactos (terapia focal). Os tratamentos focais têm menor risco de danificar estruturas importantes da região do órgão, como o esfíncter urinário e os nervos que são importantes para as ereções.


    Como surgiu o HIFU?

    As pesquisas com HIFU começaram ainda nos anos 1950, na Universidade de Indiana (EUA). O primeiro estudo para o tratamento de câncer de próstata humano foi realizado em 1994, na Universidade de Viena (Áustria), tratando 29 pacientes, antes de realizar uma prostatectomia radical – o estudo descobriu que o tratamento poderia ser realizado com segurança e ser repetido.

    Estudo de 1995 apresentou resultados de aplicação segura do HIFU para a próstata em 50 pacientes (Ebert et al., grupo do Prof. Ackermann, em Düsseldorf, Alemanha). No mesmo ano, um outro estudo, desta vez realizado na Universidade de Indiana, mostrou que toda a próstata poderia ser tratada sem danificar a cápsula da próstata ou a parede retal. No Japão os tratamentos começaram em 1999. Na Europa, os órgãos reguladores aprovaram o HIFU em 2001. A partir de 2004, tornou-se disponível em hospitais e centros de tratamento no México, Costa Rica, África do Sul e Caribe. No Canadá a aprovação ocorreu em junho de 2005, com os primeiros procedimentos HIFU realizados em Toronto, em março de 2006. No Brasil, foi aprovado pela ANVISA em 2008 e, nos Estados Unidos, em outubro de 2015. O primeiro procedimento no Brasil foi em Curitiba.


    Qual a segurança para o paciente?

    A detecção de feixes neurovasculares ajuda o médico a evitar causar danos a estruturas sensíveis ao redor da próstata, tal como manter as condições da função erétil e, com o monitoramento, determinar a temperatura e a proximidade da área a ser tratada, protegendo o tecido da parede retal durante a terapia. Entre outros benefícios, isso ajuda a preservar a qualidade de vida do paciente.


    Com o HIFU, o câncer pode voltar?

    Sim, como acontece com qualquer tratamento para o câncer de próstata. No caso do HIFU, apenas a área da próstata que contém o tumor é atingida. Isso é determinado após vários tipos de diagnósticos por imagem e relatórios de biópsia para confirmar o estadiamento da doença. Mas somente com base nos diagnósticos é que o médico poderá explicar os possíveis riscos do tumor retornar.

    Se após o tratamento com a técnica houver uma elevação no PSA e/ou evidência de que o câncer apareceu em local diferente (na próstata), é possível voltar a empregar o HIFU no novo local. Esta é uma abordagem muito menos radical para localizar o câncer e eliminá-lo. Além disso, o paciente pode optar por qualquer outro tipo de terapia neste novo momento.


    HIFU x Tratamentos Tradicionais

    Estudos mostram que HIFU tem taxas de eficácia semelhantes a outros tratamentos para câncer de próstata, mas com menor risco de efeitos colaterais, como incontinência urinária e disfunção erétil. O procedimento com o HIFU é mais curto, o tempo de recuperação mais rápido e o período de uso de um catéter (ou sonda na bexiga) é bastante reduzido.


    O HIFU é um tipo de radiação, como a braquiterapia?

    Não. O HIFU está completamente livre de radiação. O HIFU é uma fonte de energia limpa e não ionizante. Na braquiterapia, as sementes radioativas são colocadas dentro da próstata e permanecem no órgão após a conclusão do procedimento. Muitas vezes, essas sementes migram para outros órgãos, o que pode causar problemas adicionais aos pacientes.


    Quais os cuidados antes do tratamento com HIFU?

    Os pacientes devem ter exames laboratoriais e eletrocardiograma recentes, além de avaliação cardiológica. O médico indicará a necessidade de dieta específica (evitar alimentos que favoreçam a produção de gazes por 2 dias antes do tratamento, como cebola, feijão e condimentos apimentados), medicamentos e outros exames adicionais, de acordo com cada caso.


    Quanto tempo dura o procedimento HIFU?

    A duração do procedimento depende do tamanho da próstata. Glândulas maiores levarão mais tempo para serem tratadas completamente. Em média, a duração é de 1 a 4 horas, dependente de cada caso.

    A recuperação do paciente dependerá do estágio e da localização de sua doença, mas, geralmente, o retorno às atividades ocorre em poucos dias. Após o procedimento, são necessárias poucas horas em recuperação, seguido de algumas horas de internação em quarto comum, para então receber alta para voltar para casa.

    Os desconfortos são leves. Pode ocorrer obstrução ao fluxo urinário (e por isso é deixada uma sonda de segurança). Os potenciais efeitos colaterais podem incluir estenose da uretra (5 a 10%), incontinência urinária (0 a 2%), disfunção erétil (5 a 7% para aplicação parcial ou focal, 26% para total) e fístula retal (próximo de 0%).


    Quando posso retomar a relação sexual?

    Normalmente, os pacientes podem voltar a atividade sexual depois que o catéter for removido.


    Quando posso voltar ao trabalho e outras atividades normais?

    · Pacientes que se deslocam para o tratamento, habitualmente recebem autorização para viajar (até mesmo via aérea) no dia seguinte ao procedimento.

    · No dia seguinte, ou 2 dias após na maioria dos casos, é possível retornar ao trabalho (em escritório ou com pouca movimentação).

    · Conduzir veículos é permitido quando temos a cor da urina clara ou amarela.

    · Atividade física mais intensa é recomendada após 25 dias.


    Que tipo de acompanhamento é preciso após o HIFU?

    Após o procedimento, o médico irá marcar uma consulta para remover o cateter. Outras consultas serão programadas para 3 e 6 meses após o HIFU, e com intervalos de 4 a 6 meses a partir de então, para fazer o teste do PSA, além de outras avaliações e recomendações de rotina.

    Apesar da distância de alguns pacientes para o centro de tratamento, os meios de comunicação têm auxiliado muito na orientação, o que tem facilitado o acompanhamento.