Notícias Gerais

  • 5 coisas que você precisa saber sobre marcadores tumorais

    5 coisas que você precisa saber sobre marcadores tumorais
    Os marcadores tumorais são substâncias, mais frequentemente proteínas, que apontam para a possível presença de um tumor, auxiliando na detecção precoce de um câncer, na sua evolução durante o tratamento, na sua reincidência após o tratamento ou ainda na presença de novos tumores ou metástases.
    Eles são importantes porque as suas possibilidades de uso são inúmeras, ajudando a conduzir com mais brevidade e eficiência outras investigações diagnósticas e as terapias a serem indicadas para cada caso. Saiba mais sobre eles:

    1. Podem ser encontrados no sangue, tecidos e até na urina. Apesar de estarem mais presentes no sangue, podem ser identificados em exames de tecido (imunohistoquimica), métodos de imagem (medicina nuclear), exames de elementos corporais (sangue, tecido, líquidos). Também pode ser encontrado na avaliação de fragmentos de DNA;

    2. Ajudam no diagnóstico precoce do câncer, demonstra os “rastros” do tumor ou células cancerígenas muito antes de qualquer outro exame;

    3. São capazes de identificar a localização da doença pelas características das células, por exemplo, se ela veio do pulmão, intestino ou qualquer outro órgão;

    4. Importante: apesar dos marcadores serem muito eficientes, a sua alteração em um exame diagnóstico não indica, necessariamente, que há a presença de um tumor/câncer. Em alguns casos, interferências ou disfunções no organismo podem gerar alterações nos parâmetros considerados normais. Por este motivo a repetição do exame e outros métodos diagnósticos devem ser solicitados.

    5. Existem diferentes tipos de marcadores com funções diagnósticas também distintas, sendo os mais comuns:
    • PSA (antígeno prostático específico), que serve para avaliar a probabilidade de câncer da próstata e o grau de extensão da doença.
    • AFP (alfa-feto proteína), serve para diagnóstico e acompanhamento de doença neoplásica maligna do testículo.
    • PLAP (fosfatase alcalina placentária, marcador tumoral especial para câncer de testículo, do tipo seminomatoso.
    • PSMA (antígeno prostático específico de membrana), capaz de avaliar a presença de células tumorais em tecidos do corpo humano, através de método de imagem. Diferente do PSA - que está dentro da célula, ele está na membrana das células, e por isso é possível de ser detectado.
    • CEA (antígeno carcinoembrionário) – Para de câncer trato gastrointestinal, especialmente no câncer colorretal.