Notícias Gerais

  • Messi, avanços da medicina, rápida recuperação

    Messi, avanços da medicina, rápida recuperação
    Messi ficou afastado por alguns dias do Barcelona. O craque foi submetido à retirada de cálculos renais. Mas ficou pouco tempo internado, graças a um procedimento que cura a doença à distância, sem contato com o organismo, por meio de ondas de choque de alta energia - o que, aliás, é uma tendência na medicina.

    O combate ao câncer da próstata, nos estágios minimamente invasivos da doença, é o melhor exemplo. A tecnologia emprega o ultrassom de alta frequência e propicia, como diferencial, diagnosticar as condições da próstata e remover com precisão áreas específicas, sem a necessidade da retirada completa da próstata.

    Na retirada de cálculos renais, com o foi o caso de Messi, existe uma interface entre líquido (corpo) e sólido (pedra ou cálculo). Já, no tratamento do câncer da próstata, o ultrassom de alta frequência, conhecido por HIFU, atinge diretamente o tecido onde a energia é focada, sem prejuízo dos demais tecidos saudáveis.
    Em ambos os casos, apesar da diferença de gravidade entre uma doença e outra, o paciente tem rápida recuperação. 

    Retoma a sua qualidade de vida em poucos dias, com menos incômodos ou limitações. Para o paciente vítima do câncer de próstata a aplicação de tecnologias não invasivas representa devolver a ele a esperança de uma vida livre do fantasma da incontinência urinária ou da impotência sexual - consequências frequentes em procedimentos convencionais como a cirurgia radical ou a radioterapia.