Notícias Gerais

  • Homens não realizam exames periódicos e adoecem mais

    Homens não realizam exames periódicos e adoecem mais
    Coincidindo com o Dia do Homem,15 de julho, várias ações foram realizadas. A data foi instituída para, entre outros objetivos, conscientizar o homem de que ele precisa valorizar a prevenção e o diagnóstico precoce de doenças potencialmente graves, que podem levá-lo à morte, mas que são evitáveis. Alertá-lo de que, deve deixar de lado os seus estereótipos e vícios socioculturais. Saber que não é invulnerável, inatingível e, por isto, não precisa se cuidar.

    O uro-oncologista Dr. Marcelo Bendhack, presidente da Associação Latino-Americana de Uro-Oncologia (Urola), diz que, o homem brasileiro não vai ao médico, não busca a prevenção. O problema é cultural e está comprovado por vários estudos, adverte. O resultado disto é que a cada três mortes que ocorrem no Brasil, duas são de homens; na faixa etária entre os 25 aos 59 anos de idade, período de vida de maior produtividade.

    Os indicadores fazem parte de estudo realizado pelo Ministério da Saúde que mostram, ainda uma comparação inevitável. Mulheres são muito mais preocupadas com a saúde, desde muito cedo. Quando se tornam mães levam os filhos ao pediatra para consultas mensais. Consequentemente, elas vivem 7,6 anos a mais comparativamente a eles, de acordo com a mesma amostragem.

    Atribui-se ao público feminino, pelos mesmos motivos, o protagonismo quando o assunto é prevenção. Elas é quem "arrastam" maridos e companheiros e demais familiares para os exames de rotina, de acordo com o Dr. Marcelo Bendhack. E, por conseguinte, são as principais parceiras do poder público em campanhas educativas e demais ações pontuais voltadas à promoção da saúde masculina.

    Câncer de próstata
    No leque dos principais problemas de saúde que atingem o público masculino e poderiam ser evitados, ou diagnosticados precocemente, estão doenças do coração (infarto, AVC), tumores malígnos (próstata, pele, pulmão), colesterol elevado, diabete e hipertensão arterial.

    Boa parte dos exames que ajudariam a evitar estes males é ignorada por medo, preconceito ou tabu. O exame preventivo ao câncer de próstata é o exemplo clássico. O diagnóstico pelo toque retal traz boas chances ao paciente. A medicina avançou ao ponto de permitir a cura de tumores, em seus estágios iniciais de forma não invasiva, sem cirurgia ou radioterapia. O problema é que homem perde o momento de realizar a prevenção. Quando vai ao médico, vítima de dores, pode ser tarde.